22º Conjunto 2016

5 Dicas de débito directo para um melhor fluxo de caixa

Se você estiver usando Débito Directo para recolher pagamentos, taxas de filiação, doações de caridade ou quaisquer outras contribuições, sem dúvida você estará ciente dos benefícios do fluxo de caixa deste método de pagamento sempre popular.

Débito Directo lhe dá o poder de saber exatamente quando e como você está sendo pago, ajudando-o a planejar e prever o fluxo de caixa para a sua organização.

De vez em quando, porém, vale a pena ter um pouco de 'verificação de sentido' - só para ter a certeza de que não está a perder nenhuma oportunidade de maximizar o fluxo de caixa.

Para o ajudar, apresentámos 5 dicas de fluxo de caixa de Débito Directo que o devem ajudar a simplificar os assuntos e permitir-lhe prestar mais atenção ao que é realmente mais importante - o crescimento do seu negócio.

1. Automatize, obtenha AUDDIS

Com AUDDDIS (Automated Direct Debit Instruction Service), poderá enviar automaticamente novas instruções de débito directo para os bancos dos seus clientes por via electrónica, em vez do formato em papel.

O AUDDIS melhora os processos, reduz os custos e diminui os erros - todos grandes benefícios que conduzem directamente a um melhor fluxo de caixa.

2. Dê ao seu cliente a data perfeita

Ofereça aos seus clientes um leque de datas de pagamento tão amplo quanto possível.

Colocar seus clientes no controle desta importante parte do processo de pagamento significa que eles podem escolher uma data que funcione para eles, e ao fazer isso eles terão muito mais probabilidade de pagar a tempo. Reduzir a frequência de pagamentos em atraso manterá o fluxo de caixa a funcionar bem.

3. Enviar notificação avançada (é apenas educado)

Certifique-se de que os seus clientes recebem sempre uma notificação antecipada das suas próximas saídas de pagamento.

Isto serve apenas como um lembrete suave para garantir que eles tenham fundos suficientes em sua conta para atender ao pagamento. Seus clientes lhe agradecerão com lealdade quando virem que você os salvou de taxas de saque a descoberto.

4. Pense fora da caixa 'recorrente'.

O débito directo pode ser para mais do que apenas pagamentos recorrentes. Pense em usá-los para aceitar pagamentos ocasionais ou pontuais.

Deixar os seus clientes fazer pagamentos ocasionais é outra excelente forma de os manter no controlo e dar-lhes opções de pagamento adicionais. E o Débito Directo pontual pode ser uma alternativa útil aos cheques, dinheiro e cartões de crédito/débito. Mas tenha em mente a Dica Número 1 aqui, pois vai precisar de AUDDIS para aceitar qualquer pagamento de Débito Directo pontual.

5. Transformar 'não pago' em 'pago' - sem dor

Notifique sempre os seus clientes sempre que representar um dos seus Débitos Directos não pagos.

Um lembrete pode ser tudo o que eles precisam para se mobilizarem e colocarem fundos suficientes em sua conta, para que possam evitar encargos bancários incômodos.

E, finalmente, automatizar os procedimentos de acompanhamento dos Débitos Directos não pagos.

Quanto mais rápido você conseguir identificar aqueles clientes problemáticos que não pagaram, maior a probabilidade de você ser capaz de resolver qualquer problema subjacente, ser pago e manter o controle dos seus clientes (apenas se você achar que eles merecem uma segunda chance, ou seja).

Quer mais dicas sobre as melhores práticas de cobrança de Débitos Directos? Leia a parte 1 aqui.